top of page

Problemas nos Sistema de Saúde em Jacobina. Sindimed cobra solução.


Em outubro, o Sindimed-BA tomou conhecimento de situações que estavam ocorrendo na Cidade de Jacobina, causando interferências no sistema de saúde da cidade, no trabalho dos médicos e na assistência à população local e da região, desencadeando um pedido de rescisão coletiva dos médicos do Hospital Regional. De pronto, no dia 20 de outubro, o Sindicato enviou ofício ao MP da Comarca de Jacobina, solicitando intermediação para resolução das questões.


Foram relatados problemas no pagamento dos médicos, dificuldades estruturais nas unidades de saúde e situações delicadas agravadas pelas intensas chuvas que ocorreram na cidade, além de transferências de pacientes entre os hospitais da cidade sem as cautelas necessárias. Houve descontinuidade das equipes e da organização do sistema de saúde até então existente.


As modificações se deram após troca da empresa gestora dos hospitais na cidade, com demissão de profissionais de reconhecida experiência e qualificação, que participavam ativamente na formação de colegas, treinamento de técnicos e atuantes no sistema de saúde da cidade. Até mesmo a preceptoria de Residência e orientação a estagiários e internos da faculdade de medicina local foi descontinuada.

Como resposta, os médicos decidiram pedir rescisão coletiva dos seus contratos, em função da crise instalada em Jacobina, que poderia comprometer a qualidade da assistência.


O Sindimed convidou todos os entes envolvidos para uma reunião, ocorrida em 7.11.2022, da qual, além do Sindicato, participaram o secretário de Saúde de Jacobina, Instituto Vida Forte, Prefeitura e SMS, Fundação José Silveira, Cremeb e alguns médicos que atuam na cidade. Todos se manifestaram buscando esclarecimento das situações e se comprometeram, ao final, em soluções para o que estava ocorrendo.


Foi marcada uma nova reunião para o dia 21 de novembro, mas, infelizmente, o Instituto Vida Forte (novo gestor das unidades de saúde) não participou, informando por ofício que tudo estava em resolução. As informações que chegam ao Sindicato, entretanto, dão conta de que permanece sem resolução a preceptoria – referencia local de cardiologia para o município e outros circunvizinhos -, assim como os salários em atraso não foram regularizados e a SMS não pagou também o mês de setembro.

No dia seguinte (22/11/2022), uma reunião organizada pelo Ministério Público local infelizmente foi cancelada de última hora. O Sindicato enviou representante jurídico para Jacobina, junto com o médico representante do Sindimed na região.


Através de ofício ao MP local, o Sindimed tentou nova reunião, tendo em vista que no dia 27/11 um grupo expressivo de médicos deixariam seus postos de trabalho, conforme haviam notificado a SMS e entidades de representação – 30 dias antes -, e preocupava muito o Sindimed a transição de equipes nessa data.


Aparentemente novos e jovens profissionais estão assumindo os postos de trabalho dos médicos. Importante considerar, no entanto, que diversas situações que geraram atenção à saúde pública de Jacobina permanecem sem solução, como já citadas, assim como a pouca experiência de algumas novas equipes, diante da complexidade do atendimento necessário.


O Sindimed espera que o MP local possa continuar acompanhando a situação, e conta com agendamento de outra reunião com brevidade. O Cremeb seguramente está atento à situação e o Sindicato espera que a atual gestão da Secretaria de Saúde Municipal possa empreender esforços de maneira a resolver de forma efetiva e urgente as questões pendentes.


A população e o sistema de saúde não podem ser penalizados com a queda da qualidade no atendimento aos pacientes da cidade e região.

WhatsApp.png
bottom of page